Pânico

Pânico

Vamos conhecer de perto o que é a síndrome do pânico, esse grande mal que afeta a vida de muitas pessoas com a ocorrência de crises inesperadas de desespero e um medo intenso das situações desagradáveis que possa ocorrer, ainda que não haja nenhum motivo aparente para que esse sinal de alerta eminente.

É uma síndrome que além de proporcionar o medo agudo por situações que não ocorreram, ainda causa um forte medo pela sensação de prever crises recorrentes, o que contribui para agravar ainda mais a situação. Fora isso, existe o receio pelas consequências geradas por tais explosões durante as crises.

Mulher em pânico

Quais as Causas da Síndrome do Pânico?

Sabemos que para resolver uma determinada situação, antes precisamos conhecer e compreender as causas para então, iniciar o processo a fim de contornar e proporcionar uma melhor qualidade de vida.

A questão chave é que ainda são desconhecidas as causas que levam ao desenvolvimento desta síndrome. Mesmo com todo avanço tecnológico e os mais diversos estudos realizados sobre o assunto, no momento só temos indícios do que pode desencadear o desenvolvimento da síndrome do pânico.

Vamos conhecer a lista com os indícios:

– Genético

– Estresse

– Temperamento forte e suscetível ao estresse

– Mudanças na forma como o cérebro funciona e reage a determinadas situações.

Como não compreendemos o que leva o indivíduo a desenvolver tal síndrome, estes indícios nos dão apontamentos sobre a provável origem. Outros estudos já indicam que a forma como nosso corpo reage frente às aparentes situações de perigo, também estão ligadas aos ataques de pânico. O que os estudos ainda não explicam é o fato de a síndrome ser desencadeada por situações em que não se tem um histórico anterior de perigo iminente.

pessoa em pânico

Quais os Sintomas da Síndrome do Pânico?

Como são desencadeados por situações repentinas, os ataques e as crises podem surgir sem qualquer alarde e isso independente do lugar, situação ou horário do dia. Isso pode ocorrer, por exemplo, enquanto está dirigindo, durante um passeio junto aos amigos, nas atividades profissionais ou até mesmo durante o sono.

No geral as crises duram entre 10 a 20 minutos, mas claro, podem variar dependendo da intensidade do ataque e até de pessoa para pessoa, mas isso não conta para alguns sintomas da crise do pânico que podem durar por mais tempo.

É importante conhecer os detalhes desta síndrome até porque alguns sintomas podem ser assemelhados ao ataque cardíaco e podem confundir quem está próximo e não sabe o que fazer ou como agir frente à situação.

Abaixo segue uma lista com os sintomas mais aparentes:

– Sensação de alerta e perigo constante;

– Medo ou receio de perder o controle;

– Medo da morte ou de uma provável tragédia;

– Sentimentos de indiferença;

– Sensação de estar fora da realidade;

– Dormência e formigamento nas mãos, nos pés ou no rosto;

– Palpitações, ritmo cardíaco acelerado e taquicardia;

– Transpiração Excessiva;

– Tremores;

– Dificuldade para respirar, falta de ar e sufocamento;

– Hiperventilação;

– Calafrios;

-Ondas de calor;

– Náuseas;

– Dores abdominais;

– Dores no peito e desconforto;

– Dor de cabeça;

– Tontura;

– Desmaio;

– Sensação de estar com a garganta fechando;

– Dificuldade para engolir;

Como pode ver a lista é demasiadamente grande e esse também é um dos fatores que levam a pessoa que tem essa síndrome se isolar com o intuito de evitar ao máximo tais situações que possam desencadear estas crises e ataques.

ataque de pânico

Ao perceber o problema é ideal procurar ajuda, até para evitar o desenvolvimento de quadros ainda mais graves como a questão do alcoolismo, da depressão e a busca pelo uso de drogas. Isso é percebido em alguns casos mais graves, então, não dê tempo nem chance para o acaso e busque ajuda especializada.

Entre em contato com o Instituto Phisiom Agora!